Arquivo de tag Marketing de conteúdo

Como tornar seu site visível no Google com SEO

Se você quer ter seu site visível no Google, Reforçar a visibilidade e a Autoridade da sua Marca… O SEO é essencial para gerar mais tráfego e dar mais visibilidade ao seu site…

Uma das maneiras mais eficiente de conseguir esse feito é sem dúvida investir na produção de conteúdos estratégicos, ricos em estratégias SEO (search engine optimization).

A produção de textos estratégicos, com palavras e frases-chave inseridas em posições estratégicas com a finalidade de agregar mais valor ao seu conteúdo e deixando seu site mais visível, atraindo assim os buscadores, mas sem perder a essência para seus leitores.

Isso gera-rá mais visibilidade nas buscas orgânicas, sem a necessidade de tantos investimentos em campanhas pagas.

A produção de conteúdos mesmo sendo uma maneira muito eficiente, ainda sim precisa andar em paralelo com outras estratégias, para um sucesso mais rápido e duradouro, quando se fala em bom posicionamento tem que haver disposição e bastante força de vontade envolvidos.

Mas por onde devo começar?

Como todo começo é a parte mais difícil, vale parar tudo o que está fazendo um pouco para dar o pontapé inicial.

Definir os processo já na fase inicial, pode ser crucial para o bom desempenho de todo o projeto.

Processos tais como:

  • Delegar tarefas.
  • Escolher palavras-chave.
  • Tempo estimado de cada processo.
  • Definição de metas.
  • Público-alvo.
  • Redes de divulgação.
  • Canais de venda…

Se você se sente confiante e com tempo para se dedicar a alguns processos do seu projeto de SEO. Mãos à obra!

Ou, pode fazer uma pesquisa de empresas de Marketing Digital qualificadas para tocar seu projeto por você.

Planejando conteúdos que geram engajamento

Para criar conteúdos que gerem receita, eles devem resolver uma dor, uma dúvida ou oferecer o que quem está lendo procura. Assim ocorrerá o tão desejado engajamento.

Por esse motivo é preciso ter em mente quem é o público-alvo e quais são as suas necessidades e gostos. Qual a faixa etária, bairro, cidade ou pais onde moram…

Dentro desse mesmo público pode haver outros diversos segmentos de público-alvo que você procura, e tudo precisa estar bem alinhado antes de começar a elaborar seus conteúdos e embutir suas técnicas de SEO.

O texto, precisa estar bem estruturado, passar segurança no tema que está em questão. Além disso, precisa ser atrativo e resolver as dúvidas e às dores dos clientes.

Na verdade não é só dominar as técnicas da escrita, é preciso humanizar o conjunto, texto/informação/SEO, despertando assim o interesse de quem os lê.

Prender a atenção é fundamental, instigar a leitura, o compartilhamento, comentários e o retorno ao seu site.
Isso sim, conta muito para um bom posicionamento.

Resumindo

Enfim. Esses são sem dúvida um dos primeiros passos para se ter o seu serviço ou produto prestes a ser adquirido. Seja uma compra, uma assinatura, uma inscrição, um download de algum material rico…

Meu site não dá bom resultado. O que fazer para ter o resultado esperado?

Apesar de ser uma pergunta que muitos tem uma resposta. Mas nem sempre quem tem as respostas, consegue obter o resultado desejado. 

Vamos falar de forma simples e clara:

O que fazer para se ter o resultado esperado de um site.

Para começar, o primeiro passo a se seguir, é a escolha da empresa que vai desenvolve-lo.
Mesmo nos dias de hoje que existem formas bem fáceis de se criar sites até de forma gratuita. Para se desenvolver um que de retorno financeiro se esta for a ideia inicial. Será preciso abordar diversas estratégias e segui-las à risca. 

Passo 1.

  1. Definir junto à empresa o CMS que será usado na criação do site.
    1.1 WordPress (um dos mais usados)
    1.2 Joomla
    1.3 Drupal … E por aí vai…
  2. Pesquise se os clientes da empresa que vai desenvolver seu site estão satisfeitos com seus serviços.
    2.1 Se os sites são rápidos.
    2.2 Se são compatíveis com dispositivos móveis.
    2.3 Se os sites dão resultado.
    2.4 Se tem um atendimento de excelência…

Passo 2.

  1. Além de uma equipe de desenvolvimento ótima, a empresa precisa ser boa de design também.
    1.2 Design inteligente e clean, são bem mais aceitos pelos usuários e pelos buscadores.
  2. Mobile first. Precisa ser pensado na versão mobile tanto quanto na versão desktop do site.

Com isso, já dá para contratar a empresa, rsrs.
Alguns preços são bem salgados, mas pesquisando dá para unir bom preço e qualidade.

Outro ponto para se ter melhores resultados com um site.

Passo 3.

  1. Tenha as redes sociais do momento.
    1.1 Facebook
    1.2 Instagram
    1.3 LinkedIn
    1.4 Youtube
    1.5 Até WhatsApp…

As redes sociais e mensageiros se tornaram ferramentas absurdamente enriquecedoras de autoridades e vendas, quando o assunto é divulgação da marca, produtos ou serviços. É quase que obrigatório ter pelo menos 2 redes sociais a seu favor.

Quanto mais atraente, mais próspero.

Passo 4.

  1. Tenha um bom designer a sua disposição.
    2.1 Crie artes atraentes, que chamem a atenção sem poluição visual.
    2.2 Banner festivos são sempre muito bem vindos em datas comemorativas.
    2.3 Crie artes com sua identidade visual para posts periódicos, mas não muito maçantes.
  2. Pesquise por assuntos em evidencia e estude sobre, assim poderá criar artigos relevantes.
  3. Esteja sempre informado do que seus concorrentes estão falando, não os copiando, mas se possível, igual ou melhor.

Caso você tenha seguido todos estes passos, ou já tenha um site em ação, vamos para o passo #4, que eu chamo de matador.

Divulgando seu site

Passo 5

Criar ou atualizar conteúdos já existentes, ajuda a mostrar aos buscadores que seu site tem algo para mostrar a quem procura informações.

Crie conteúdos informativos, solucionando problemas, esclarecendo dúvidas e apresentado serviços de qualidade para seu público que procura seus serviços e ou produtos.

Tendo isso em mãos, é hora usar algumas ferramentas que auxiliam nesta próxima etapa:

Passo 6

O Google

Use as ferramentas do Google como aliadas. Segue algumas das mais usadas:

  1. Google Business.
  2. Google Search Console.
  3. Google Analytics.
  4. Google Trends.

Enfim, uma infinidade de ferramentas, basta procurar na internet e estudar o que cada uma delas é capaz de te auxiliar na divulgação do teu site.

Bing

  1. Bing Webmaster Toolbox.
  2. Bing Add Url

Youtube

  1. Crie seu canal no Youtube.https://www.youtube.com/
  2. Esbanje vídeos de produtos e serviços da sua empresa.
  3. Faça tutoriais em vídeo sobre assuntos relacionado a sua área.

Outras ferramentas

Além das grandes empresas citadas a cima, existem outras excelentes para a mesma finalidade. Segue algumas delas:

  1. ubersuggest – Ferramenta do Neil Patel.
  2. Semrush
  3. Woorank

Enfim, exitem estas e muitas outras.

E por fim, se não disponibiliza de tempo para exercer essa gama de processos, por conta própria.

Passo 7

O melhor a se fazer, é

  1. Junto com passo #1, encontrar uma empresa que desenvolva e que também trate da parte do SEO, Marketing digital, Redes sociais… com excelência.
  2. Existem muitos freelancer também que dão conta do recado.

Então é isso! Qualquer dúvida que venha a surgir, deixe-nos uma mensagem ou mande-nos um e-mail.

Forte abraço.

Como o marketing digital pode aumentar as vendas

O Marketing Digital vem crescendo muito e com isso vem se tornando a cada dia uma das ferramentas mais eficazes quando se fala venda.

Investimento em marketing

Dependendo da sua necessidade e habilidade, pode ser baixo o investimento, um custo benefício excelente para pequenas e médias empresas.

Por isso não pense duas vezes na hora investir em marketing digital. Ele é uma ferramenta essencial no ambiente digital, ideal para aqueles empresários que querem conquistar seu espaço, ter mais estabilidade e passar mais autoridade para sua marca.

Os lucros com o marketing digital

Os lucros são uma consequência de um trabalho centrado e objetivo, seu planejamento, estudo e foco. Definem os ganhos ou perdas, seus frutos são colhidos de maneira a depender de suas estratégias, acompanhamentos e mudanças no planejamento.

Mas fique ciente de que não existe uma formula mágica para o sucesso esperado no marketing, e sim, muito trabalho e competência.

Segue algumas sugestões de ações a serem tomadas para o seu sucesso nas estratégias do Marketing Digital

SEO

O SEO faz parte de um conjunto de estratégias a fim de melhorar o ranqueamento das páginas nos buscadores. A sigla SEO significa “Search Engine Optimization”, que nada mais é que motor de otimização de sites para melhoria do posicionamento nas páginas de pesquisas.

¹ O SEO é essencial para garantir que suas páginas sejam encontradas conforme as buscas feitas nas pesquisas dos buscadores.
² Também faz com que sua marca seja encontrada mais facilmente, sendo exibida nas SERP’s e fortalecendo sua presença.
³ Investir tempo e estudo em SEO, pode fazer toda a diferença na hora de montar uma estratégia de marketing digital. 

Principais implementações SEO

  • As Palavras-chave:
    Influenciam em qual termo de pesquisa suas páginas serão exibidas por exemplo: quando uma pesquisa é feita no Google.
    Inseri-las de forma estratégica e consciente pelo seu conteúdo, título, sub-títulos, meta descrição e links. É uma boa forma de aparecer nas pesquisas.
    Para isso também, seus textos devem ser escritos de forma atrativa e relevante para quem os lê e não apenas para os mecanismos de busca.
  • As metas Descriptions:
    Elas são uma prévia do seu conteúdo e é o que aparece nas páginas das buscas junto ao título.
    Uma descrição clara e objetiva do que se trata a sua página, pode atrair seu usuário para sua página.
    De modo que o clique possa resultar em um novo cliente.
  • As imagens:
    Uma imagem bem atraente, própria e leve. Pode se tornar bem populas nas pesquisas.
    Por tanto uma boa foto de produto, um banner ou outro tipo de imagem que tenha seu título bem elaborado, uma descrição breve que esclareça de qual assunto ela trata.
    Pode ajudar melhorar muito o posicionamento e na descoberta do seu site.

Relacionamento sociais com seus cliente

O uso das redes sociais, é sem duvida uma ótima oportunidade de criar um bom relacionamento entre empresa e cliente.
Podendo criar uma possibilidade de tirar lucros este relacionamento, uma vez que o cliente é o carro-chefe de qualquer negócio. 

Através deste relacionamento fica mais fácil mostrar seus produtos e serviços aos já clientes e possíveis futuros cliente e seguidores, além de fortalecer a presença da sua marca.
Manter um bom diálogo com seus clientes passa confiabilidade e respeito. Mesmo na hora das críticas que surgem, uma breve resposta para esclarecer o ocorrido é fundamental, tanto para mostrar o respeito como para evitar que ocorra novamente.
Relacione-se bem com seus seguidores e elogios aparecerão com certeza, e como o nome diz. Rede Social.

Compartilhe-se nas redes sociais como: Facebook, Instagram, Linkedin… E tire o maior proveito delas.

O conteúdo e o marketing

Chamado de Marketing de Conteúdo é uma das estratégia mais aplicada nos últimos tempos, portanto para qualquer tipo de negócio na captação de leads ele também é essencial.
Além de ser um dos responsáveis na fidelização de leitores/seguidores por construir um bom relacionamento entre cliente/empresa, criado a partir de esclarecimento de dúvidas e gerando autoridade pelo entendimento do assunto e solução de problemas .
Depois disto verá uma melhora no resultando e maior visibilidade, engajamento e autoridade. 

Google reduz o tamanho das meta descrições em sua busca

O Google acaba de informar que reduziu o tamanho das meta descrições no seu mecanismo de busca.

Danny Sullivan do Google confirmou a redução do tamanho das meta descrições, mas que ainda não existe um tamanho específico e que podem variar conforme o sistema de indexação do Google assim como melhor for identificado.

As meta descrições em dispositivos desktop foi reduzido de 300 caracteres para 160 caracteres (em média).

E as meta descrições em dispositivos móveis tiveram seu tamanho definido aproximadamente em 130 caracteres.

 

Uma das soluções para a dúvida em relação ao tamanho das Meta Descrições

Tomando em conta esses detalhes, fica a dúvida! Parece que, talvez a melhor opção seja criar suas metas descrições com no máximo 320 caracteres (dependendo da necessidade), ainda assim pensando nos 130 caracteres dos dispositivos móveis e nos 160 caracteres para dispositivos desktop.

Já pensando na sua visualização nas páginas de pesquisa do Google em caso de redução.

Sabemos o quanto isso é complexo, mas, mais complexo ainda é saber como o Google reage em relação a SEO de um site na escolha do seu posicionamento.

O importante é nos mantermos mesmo informados e atualizados com as novas tendências das técnicas de SEO e nos algoritmos do Google.

A importância do Site Responsivo

Um site responsivo ou mobile, é aquele que se adapta a qualquer dispositivo, seja ele computador, tablete ou celular, o chamamos também de mobile friendly.

Nos dias de hoje, o número de usuários que utilizam smartphones cresceu exponencialmente, ultrapassando os que utilizam computadores. Levando isso em consideração, a adequação do site para essas pessoas é essencial e necessária, tornando um site comum em um site responsivo.

 

Quando meu site não é responsivo

Quando a página não é responsiva, o usuário precisa ficar aumentando e diminuindo a tela, esperar mais tempo para que o site carregue, há problemas ao tocar nos botões, é uma dor de cabeça para o indivíduo.

Muitos quando se deparam com esse tipo de página, saem imediatamente por não ter uma experiência positiva, relevante e que facilite a vida, é exatamente isso que deve ser levado em consideração. Outro fator importante que ocorre quando o usuário sai rapidamente de uma página, é que a taxa de rejeição da mesma aumenta, quando isso acontece com frequência é muito prejudicial para os seus negócios.

Quando seu site é responsivo e proporciona uma boa experiência para o usuário, fazendo-o passar mais tempo navegando, o Google acaba classificando seu site como relevante e isso é uma forma de como aparecer na primeira página dos resultados do Google. 

Ter um site otimizado para dispositivos móveis faz parte de uma série de boas práticas de SEO para aplicar em sua estratégia de geração de tráfego, logo a tendência é ter qualidade e ser relevante nos buscadores.

Motivos Para Ter Um Site Responsivo

Sem dúvidas ter um site responsivo já é uma obrigação, até mesmo porque o Google penaliza os sites que não oferecem uma boa experiência para o usuário. Acompanhe abaixo as maneiras de conseguir atingir esse objetivo:

Experiência do Usuário:

Como dito anteriormente, quando o usuário acessa um site é fundamental que ele tenha uma boa experiência e para isso acontecer ele precisa conseguir rolar a página e ler o conteúdo da forma mais simples possível.

Em casos em que isso não ocorre, a tendência do usuário sair sem nem ao menos saber do que se trata o site, é de 90%.

Ganho de Resultados:

Com maiores taxas de consumo do seus conteúdos no site, a tendência de ganho de resultados é muito maior. Assim você conseguirá fazer com que o usuário compreenda melhor o seu negócio e se ele atende suas expectativas.

Carregamento rápido:

Quando o site é leve e feito para aquele tipo de navegação, ele fica muito mais rápido e fácil de navegar, tornando a prática muito mais rápida.

Mais visibilidade:

Quando o seu site é otimizado para dispositivos móveis, ele poderá ter maior visibilidade no Google e outros buscadores, através dos resultados orgânicos, através de links patrocinados e redes sociais. Com um site responsivo você poderá criar campanhas de links patrocinados voltadas para dispositivos móveis, atingindo ainda mais o público alvo já que o acesso através desse tipo de dispositivo só vem aumentando.

Dessa forma, o número de pessoas acessando o site será maior, a tendência a compartilhamentos e comentários nas redes sociais também é mais alta.

Se o site do seu negócio ainda não é responsivo, procure uma empresa qualificada para torná-lo responsivo o mais breve possível, pois certamente o número de clientes perdidos devido ao fato de não ter um site responsivo e grande.

 

9 erros de SEO On Page que estão sabotando os seus rankings

Você criou um blog para seu negócio, postou um conteúdo incrível, divulgou nas redes sociais, mas, mesmo assim, não tem tido bons resultados?

Esse tipo de situação, em alguns casos, é mais comum do que se imagina, e pode significar que existem elementos mal configurados em suas páginas, impedindo que o seu conteúdo conquiste um bom rankeamento e traga os resultados esperados. Erros assim podem comprometer os resultados de uma campanha de marketing.

A boa notícia é que você tem total controle sobre todos os aspectos de SEO em suas páginas, tornando a resolução do problema fácil e muitíssimo prática.

Quer saber como Resolver os problemas de SEO On Page que estão sabotando os seus rankings?

Confira abaixo nossa lista com 9 erros de SEO On Page que você precisa evitar e, de quebra, aprenda como é possível resolvê-los agora mesmo.

1. URLs não amigáveis e otimizadas

Os usuários que utilizam os motores de busca encontrarão o seu site por alguns possíveis caminhos:

  1. Diretamente, digitando o seu endereço na barra de pesquisa;
  2. Organicamente, por meio de pesquisa no Google;
  3. Referenciado, ou seja, por meio de algum link direto por anúncio ou indicação de outro site;
  4. Social media e e-mail marketing também são opções.

Uma URL não otimizada já reduz, e muito, as chances de seu website ter o endereço manualmente digitado por algum visitante menos paciente.

Além disso, esse descuido pode acabar diminuindo suas chances de rankeamento na primeira página, uma vez que a estruturação da URL é fator primordial para os mecanismos de buscas entenderem se um site pode, ou não, figurar entre os primeiros na busca do Google.

Busque links de fácil interpretação, como:

  • http://marketingdeconteudo.com/tecnicas-avancadas-de-seo
  • http://marketingdeconteudo.com/estrutura-de-urls

E nunca algo assim:

  • https://rockcontent.com/?utm_source=mktc&utm_medium=header&__hstc=125963474.47a6d9cffa1be5895aac8ff2e0465342.1538704776040.1542033911938.1543344601253.3&__hssc=125963474.1.1543344601253&__hsfp=3466611427.

Perceba que, pela leitura dos dois primeiros links você já é capaz de entender exatamente do que será tratado no texto.

Se o seu site está hospedado no WordPress, a correção desse tipo de erro é bastante simples. Instale o plugin Yoast para a plataforma e proceda para os ajustes necessários.

Algumas boas dicas para a configuração de seu link incluem:

  • Texto da URL de fácil leitura;
  • URL com palavra-chave do conteúdo;
  • Links curtos;
  • Remova caracteres complexos (á, ç, õ etc.);
  • Use no máximo 5 palavras;
  • Separe palavras com hifens;

2. Títulos desleixados

Antes de começarmos, é importante que você saiba que 8, em cada 10 pessoas, lerá o seu título. Parece ruim?

Então espero que não se assuste quando souber que apenas 2 dessas 10 pessoas, lerão o conteúdo que você postou.

Imagine então como seriam esses dados se, para piorar a situação, você ainda colocasse um título nada chamativo, que espantasse o leitor de primeira?

Isso certamente não ajudaria no seu tráfego, e menos ainda o seu rankeamento.

É fundamental que você dedique algum tempo bolando um título persuasivo, capaz de sintetizar o conteúdo do seu post, com o tamanho certo.

E não é só isso:

A palavra-chave principal do seu texto PRECISA estar no título se você quiser algum resultado orgânico.

Esforce-se por criar um título entre 55 e 65 caracteres atentando-se para manter a palavra-chave no ponto mais à esquerda possível.

Pode parecer bobagem, mas esse posicionamento também é um dos fatores que influenciam no rankeamento e no processo de leitura dos bots de mecanismos de buscas.

A não ser que isso afete a qualidade do seu texto, nesse caso opte por ter um título com uma boa qualidade.

3. Keyword Stuffing

Você já sabe a importância de se utilizar palavras chave em um conteúdo, tenho certeza disso.

Mas você sabia que o seu uso excessivo pode não ser bem visto pelo Google e pode trazer penalidades severas para sua página?

Acreditando que a simples presença da palavra escolhida seria o suficiente para garantir um bom posicionamento no Google, centenas e milhares de páginas começaram a tirar proveito da densidade de palavras-chave de maneira irresponsável.

Funcionava assim: Você criava um conteúdo irrelevante e, a cada 10 ou 15 palavras, adicionava a palavra-chave sem se preocupar com o contexto ou a qualidade do texto.

Resultado: Uma infinidade de conteúdos inúteis e sem qualquer apelo começou a se propagar pela web, gerando um abuso dessa funcionalidade.

Logo, o Google alterou suas políticas para rankeamento, e o uso indiscriminado das palavras-chave tornou-se motivo de penalidade para todo tipo de conteúdo.

Então, antes de sair espalhando palavras-chave pelo seu texto, lembre-se de que um dos maiores erros de SEO On Page é justamente o de ignorar a experiência do leitor.

Para um uso mais consciente desse recurso no seu texto, considere sempre:

  1. Variações da palavra chave;
  2. Inserção contextual;
  3. Escaneabilidade;
  4. Uso de Long Tail e Head Tail;
  5. Definição de palavras-chave negativas.

4. Escaneabilidade mal planejada

Escaneabilidade é um fator fundamental na construção de seu conteúdo e, claro, na experiência do usuário.

Ele ditará a facilidade com que uma pessoa, que realiza a leitura do texto online, terá para absorver o conteúdo e percorrê-lo com os olhos.

Não só isso, a escaneabilidade também ajuda a tornar a leitura muito mais fluídica e garante que o usuário não saia do seu blog por conta da dificuldade de ler o seu texto.

Algumas dicas para garantir uma boa escaneabilidade em seu texto incluem:

  1. Coloque intertítulos no texto;
  2. Use negritos e itálicos;
  3. Parágrafos curtos;
  4. Use listas para facilitar a leitura;
  5. Use imagens no conteúdo.

5. LSI incompreendida

A Indexação Semântica Latente (ou LSILatent Semantic Indexing) é um dos fatores que o Google utiliza como referência na formulação de seu algoritmo para rankeamento, tendo, como base, a relação entre as palavras utilizadas em um conteúdo.

Funciona assim: Se você cria um conteúdo sobre “Conversão”, os robôs do Google farão uma varredura no seu texto para compreender do que ele trata.

Ao constatar outras palavras relacionadas á marketing digital, ele entenderá (matematicamente falando) que o texto não aborda conversão dentro de tópicos de religião ou informática, por exemplo.

Por isso, é fundamental que você foque no uso contextual de palavras-chave e suas variações dentro do conteúdo, fazendo o máximo para que seu texto esteja recheado de termos e expressões que não fujam no assunto principal.

Uma boa alternativa é usar a ferramenta SEMRush para conferir a palavra-chave e suas variações, e daí escolher as alternativas com maior índice de busca.

6. Meta descriptions mal formuladas

A meta description, é uma pequena sinopse do seu conteúdo que será utilizada como preview do conteúdo na hora que ele for apresentado em alguma pesquisa no Google, e fundamental para o rankeamento de sua página.

Use desse espaço (que pode ser encontrado entre as tags <head> do seu conteúdo, ou no campo específico para isso, caso você utilize o WordPress) para apresentar o conteúdo da página de maneira resumida e convidativa.

Lembre-se de que esse será o primeiro contato do usuário com o seu texto nas páginas de resultados do Google, e ele precisará ser atraente de modo a convencer o leitor a clicar no seu conteúdo, e não no do concorrente.

Por isso, invista nas meta descriptions e tire um tempinho para elaborar algo realmente interessante!

7. Falta de Headings

Um dos mais comuns erros de SEO On Page inclui a falta de configuração dos títulos e subtítulos de um conteúdo.

Esses elementos, indicados pelas tags <h1>, <h2>, <h3> etc., são utilizados para categorização hierárquica do conteúdo, e ajudam na leitura e, claro, na escaneabilidade.

Não se esqueça de tentar colocar a palavra-chave do texto dentro de um dos <h2> da página (o <h1> já será o título principal do conteúdo!), já que isso também auxilia no rankeamento nos motores de busca.

O ideal é que seu texto seja todo dividido entre subtítulos de acordo com a relevância do conteúdo.

Nesse texto, por exemplo, cada um dos erros apresentados está dentro de um subtítulo H2.

Caso fosse necessário separar cada erro por subtítulos mais específicos, por exemplo, elas ficariam dentro de H3 e, consequentemente, também dentro da H2.

8. Falta de linkagem interna

Você pode usar links no seu conteúdo para uma infinidade de motivos, mas eles são especialmente úteis na hora de redirecionar o usuário para algum conteúdo explicativo dentro do seu próprio blog, creditar pesquisas e referências utilizadas, deixar o conteúdo bem mais interativo e interessante, melhorar o rankeamento da página e, claro, fazer link building com algum parceiro.

Com um bom planejamento, você melhora a experiência do usuário no texto e ainda descola acessos em seus outros conteúdos, estimulando a movimentação dentro do seu blog.

Tudo isso ajuda, e muito, nos fatores de rankeamento de sua página, empurrando-a para cima nos buscadores mais populares.

9. Não entender o que realmente converte

Esse é um dos maiores erros que você pode cometer com o seu site.

Não entender o que converte significa que você não está monitorando os resultados do blog, não compreende o comportamento de sua persona e não está se esforçando o suficiente para otimizar suas postagens.

Esteja atento para a realização de contínuos testes com o seu conteúdo, e observe quais links, CTAs ou Landing Pages contribuem melhor para a conversão no seu conteúdo.

Confira se o uso do negrito e itálico tem trazido resultados, se as palavras-chave estão linkando corretamente para outros conteúdos do seu blog. Quais imagens geram melhores resultados e então não meça esforços para colocar em prática tudo o que está dando certo.

Conhecer o seu site é fundamental para que você tenha bons resultados.

Você não vai querer ficar na segunda página por mais nem um instante, não é mesmo?

 

Post original:  semrush.com/blog/9-erros-de-seo-on-page-que-estao-sabotando-os-seus-rankings/

Facebook Novas atualizações para reduzir Headlines Clickbait

Manchetes clickbait

As pessoas nos dizem que não gostam de histórias que são enganosas, sensacionalistas ou spam. Isso inclui as manchetes clickbait que são projetadas para chamar a atenção e atrair os visitantes para clicar em um link.

Em um esforço para apoiar uma comunidade informada, estamos sempre trabalhando para determinar quais histórias podem ter as manchetes clickbait para que possamos mostrá-las com menos frequência.

No ano passado, fizemos uma atualização para o News Feed para reduzir as histórias de fontes que, de forma consistente, publicam as manchetes clickbait que reter e exagerar informações.

Sobre as atualizações

Hoje, estamos fazendo três atualizações que se baseiam neste trabalho para que as pessoas vejam ainda menos histórias de cliques em seus feeds e mais histórias que acham autênticas.

Em primeiro lugar – Agora estamos levando em consideração o clique em relação ao nível de postagem individual, além do nível de domínio e página, para reduzir mais precisamente as manchetes do Clickbait.

Em segundo lugar – Para tornar isso mais efetivo, estamos dividindo nossos esforços em dois sinais separados – então vamos agora verificar se um título retém informações ou se exagera informações separadamente.

Em terceiro lugar – Estamos começando a testar este trabalho em idiomas adicionais.

Como estamos melhorando nossos esforços

Um dos nossos valores de alimentação de notícias é uma comunicação autêntica, por isso estamos trabalhando para entender o que as pessoas acham autêntico e o que as pessoas não fazem.

Aprendemos com a atualização do ano passado que podemos detectar melhor os diferentes tipos de manchetes de Clickbait separadamente – em vez de conjuntamente – identificando sinais que reter ou exagerar informações.

Os títulos que reterem informações intencionalmente deixam de lado detalhes cruciais ou induzem as pessoas em erro, forçando-as a clicar para descobrir a resposta.

Por exemplo, “Quando ela olhou sob as almofadas do sofá e viu isso …”

As manchetes que exageram os detalhes de uma história com linguagem sensacional tendem a tornar a história parecida a um negócio maior do que realmente é. Por exemplo, “WOW! O chá de gengibre é o segredo da juventude eterna. Você viu isso! ”

Nós abordamos isso de forma semelhante à forma como trabalhamos anteriormente para reduzir o clickbait:

Categorizamos centenas de milhares de manchetes como clickbait ou não clickbait, considerando se a manchete exagera os detalhes de uma história e, separadamente, se o título reter informações.

Uma equipe no Facebook analisou milhares de manchetes usando esses critérios, validando o trabalho de cada um para identificar grandes conjuntos de manchetes Clickbait.

A partir daí, identificamos quais frases são comumente usadas nas manchetes Clickbait que não são usadas em outras manchetes. Isso é semelhante a quantos filtros de spam de email funcionam.

Os posts com as manchetes Clickbait aparecerão mais baixos no feed de notícias. Continuaremos a aprender ao longo do tempo, e esperamos continuar expandindo este trabalho para reduzir o clickbait em mais idiomas.

Esse impacto será minha página?

Nós antecipamos que a maioria das páginas não verá mudanças significativas em sua distribuição no News Feed como resultado dessa atualização.

Os editores que dependem das manchetes do Clickbait devem esperar que sua distribuição diminua. As páginas devem evitar manchetes que reterem a informação necessária para entender o conteúdo do artigo e as manchetes que exageram o artigo para criar expectativas enganosas.

Se uma página deixa de publicar o clique e as manchetes sensacionais, suas postagens deixarão de ser afetadas por essa mudança.

Como sempre, as Páginas devem se referir às melhores práticas de publicação. Aprenderemos com essas mudanças e continuaremos a trabalhar na redução do clickbait para que o Feed de Notícias seja um lugar para comunicação autêntica.

 

Fonte: https://newsroom.fb.com/news/

Marketing de conteúdo os 5 erros mais comuns

Cada vez mais, sentimos o crescimento na oferta do Marketing de conteúdo, com diversos formatos, canais e pontos de vista. Porém, esse overload de informações também gera na audiência uma certa aversão a conteúdos rasos, desconexos, e que não foram pensados e produzidos de forma realmente relevante. Assim, a SEO1Click foi buscar com o público-alvo, ou seja, os usuários, a resposta:

Quais são os erros mais comuns no marketing de conteúdo cometidos pelas empresas.

 

Vamos a eles!

1) Ser muito orientado a vendas!

Focar demais nos seus produtos/serviços e tentar explicitamente promover sua marca em todos os seus conteúdos é o primeiro erro apontado. Em vez disso, crie conteúdos educacionais e informativos.

E não se esqueça de entreter sua audiência! Isso não significa postar vídeos de gatinhos e bebês (se não for adequado à sua estratégia de imagem de marca), mas sim ser criativo nos formatos, na linguagem e aproveitar assuntos que estão em voga.

2) Não escrever para um público específico – e principalmente, não saber quem é esse seu público!

Assuntos muito genéricos e não direcionados para os problemas e questões que o seu público tem também incomodam bastante os usuários.

Levante os desafios e motivações do seu público, identificando quem é a sua buyer persona e sua jornada de compra.

E sobre conhecer melhor o seu público, no final desse post selecionei duas ferramentas legais para te ajudar a traçar o perfil da sua audiência.

3) Focar demais em escrever para o Google

SEO é importante? Siiiim! Porém, encher o seu texto com as palavras-chave e pensar em link building como a grande prioridade também são pontos que irritam os usuários.

Antes de qualquer coisa, escreva para as PESSOAS! Se elas gostarem do seu conteúdo, os mecanismos de busca vão entender que ele é relevante.

4) Postar com muita ou pouca frequência

Um conteúdo hoje, outro daqui a 3 meses, e depois outro com 15 dias. Ou ainda, post novo e e-mail todo dia! Tenho certeza de que você não gosta de receber tantos conteúdos por email e precisar limpar sua caixa todos os dias. Também não curte esperar por um conteúdo que você gosta sem saber quando o próximo virá.

Em vez disso, crie um calendário de conteúdo, siga e mantenha a regularidade. Desenvolva editorias, que são os tópicos principais que serão abordados na sua estratégia. Lembre-se de expandir o universo dos seus conteúdos: uma loja de roupas, por exemplo, pode falar de moda, criatividade, estilo, viagens, esportes… as possibilidades são infinitas!

5) Formatação monótona

Deixe os “textões” para reclamar de política no Facebook. Blocos de texto muito grandes, sem quebras, subtítulos, imagens e vídeos são chatos, simples assim.

Torne o conteúdo fácil de se “escanear”, ou seja, permitir ao usuário encontrar facilmente aquilo que mais o interessa. Deixe-o respirar um pouco. Encontre um equilíbrio entre a quantidade de texto e o visual.

Indico, inclusive, a leitura desse post em que falo das 7 lições da Apple para conteúdo web. Nele, já o primeiro ponto é “escrever para escaneadores”. Além disso, o post traz sugestões muito bacanas sobre como escrever de forma épica e persuasiva.

6) Erro bônus – os Caça-Cliques

Hoje tive uma conversa com o pessoal da Outbrain, plataforma de recomendação de conteúdo em grandes portais. E um dos pontos que mais me chamaram a atenção na conversa foi sobre o novo direcionamento da empresa, que irá barrar conteúdos que, com um título caça-clique DEMAIS, chegam a parecer fake news.

Por exemplo: sabe aquele conteúdo que você vê abaixo de uma notícia de um portal que diz “Faça como a Elisa de [sua cidade] e perca 10kg em uma semana”? Então, isso será cortado pela plataforma a partir de agora, porque é algo que incomoda tanto os usuários a ponto de estar queimando o formato como um todo.

Além disso, o Facebook nos últimos anos vem travando uma verdadeira guerra contra as fake news e o clickbait, ou os caça-cliques. Inclusive, recentemente, anunciou mais uma mudança no algoritmo para coibir a prática de títulos sensacionalistas, spammers ou que possam induzir o usuário a erro.