Arquivo mensal julho 2020

Entenda o que é SEO e como ele é aplicado.

Sites de busca ou simplesmente buscadores, são umas das principal fonte de procura de informações.

Aparecer ou não aparecer no Google pode vir a ser um fator decisivo no sucesso de uma empresa. Isso não serve apenas para e-commerce, blog, grandes sites institucionais… mas para qualquer negócio onde clientes ou leitores utilizam-se da internet para buscar soluções para seus problemas.

SEO, o que é então?
SEO é o conjunto de técnicas normalmente aplicadas por webmaster, e tem como principal objetivo tornar um site o mais amigáveis possível para os buscadores e leitores.

Fazendo uso do planejamento das palavras-chave que serão usadas no conteúdo do site ou página específica, de forma a melhorar o seu posicionamento nos resultados de busca orgânica.

Profissionais/Empresas de SEO?

Existem muitas agências que são especializadas no assunto.
Mas muitas ainda não possuem profissionais qualificados para o árduo trabalho de SEO.
Ainda mais como o Google está em constante atualização, torna ainda mais difícil estar bem atualizado e colocar as atualizações em prática.

As empresas ou agências especializadas em SEO como a Weblocation, que oferecem serviços de consultoria e implementação de estratégias SEO.

Essas empresas desenvolvem e implementam toda a estratégia de SEO ou tornam-se consultoras de empresas que desejam adquirir o conhecimento necessário para desenvolver a sua estratégia de SEO in-house.

Vantagens e desvantagens de SEO in-house

Existem diversos pontos a se considerar antes de decidir entre os dois modelos (SEO in-house ou SEO terceirizado).

Uma estratégia de SEO in-house possui a vantagem de ser tocada por pessoas da própria empresa, que conhecem muito bem o negócio, os pontos fortes e fracos, concorrentes, etc…
Por outro lado, é difícil para uma empresa ter o mesmo nível de conhecimento daquelas que são especializadas em SEO.

Essas agências costumam ter acesso a informações atualizadas dos próprios buscadores que outras empresas geralmente não possuem.

Enfim, seja no SEO in-house ou SEO terceirizado, é importante que exista na empresa que deseja realizar a otimização do seu site. Uma pessoa que entenda dos negócios da empresa para otimizar de forma consistente o seu site, agrupando as informações fornecidas pelas áreas de RH, marketing, vendas e produto…

Saibamos que sempre vale a pena todo o bom investimento em SEO.

Em 09/072020, a Caixa Econômica Federal realizou uma live streaming no YouTube para falar sobre o auxílio emergencial e responder a algumas perguntas a respeito do banco. Em especial, todos estavam esperando para saber o que ocorreu no dia 7 de julho (terça-feira) com relação a retirada do dinheiro das contas dos clientes do Nubank e do Picpay.

Quando aconteceu a retirada de valores por parte do Nubank e do Picpay das contas de seus clientes, as fintechs colocaram a culpa na Caixa Economica Federal. Isso acabou ofendendo o banco, que se sentiu na necessidade de esclarecer de forma transparente sobre o ocorrido, para que fosse explicado de forma correta o que houve.

Durante a transmissão ao vivo no YouTube no canal oficinal da Caixa, o vice-presidente de Tecnologia e Digital da Caixa Econômica Federal, Cláudio Salituro, diz:

“Não existe sumir dinheiro de conta. Principalmente em uma instituição financeira de 159 anos (Caixa Econômica Federal). Não existe a menor possibilidade de sumir dinheiro de uma conta corrente na Caixa Econômica. Ontem conversei com o pessoal da Nubank, uma empresa que respeitamos bastante, que tem valores importantes, de transparência, assim como a Caixa. Quando o dinheiro sai da Caixa Econômica, vai para alguma instituição financeira e entra na conta do cliente, o custodiante do dinheiro é a empresa que recebeu o crédito. Quando o valor entra na conta corrente da caixa ou de qualquer instituição financeira, esse dinheiro pertence ao cliente, ele não pode ser retirado na nossa visão.”

De acordo com Cláudio, existia pedido para aquela empresa (Nubank e Picpay) de um outro banco pedindo a revisão de alguns boletos de cobrança.

O vice-presidente de Tecnologia e Digital da Caixa explica que o motivo da revisão de alguns boletos de cobrança dizendo:

“Quando o cliente da Caixa recebe R$1200 e quer transferir para outro banco através do pagamento de 2 boletos de R$600, estes boletos terão o mesmo código de barra porque em alguns casos dependendo do modelo do boleto (que termina em 000). Isso acontece quando a pessoa quer usar uma parte do valor daquele boleto para realizar um pagamento. “

Cláudio ainda complementa dizendo:

“Há casos em que o valor do boleto está escrito no final do código de barras, mas na modalidade do boleto para deposito em conta, onde o dinheiro é gasto para pagar diferentes cobranças, o final do código é 000.”

O que ocorreu de fato foi que alguns clientes fizeram o uso do mesmo código de barra e pagaram o mesmo valor. Então, ao perceber que havia vários pagamentos no mesmo valor com o mesmo código de barra, a instituição financeira, de forma proativa, pediu para que houvesse uma análise dos boletos para saber se estavam em duplicidade ou não. Ou seja, a Caixa Econômica Federal recebeu o pedido do Nubank e do PicPay para análise dos boletos com possível duplicidade.

Em meio a essa análise, as duas fintechs retiraram o dinheiro das contas dos clientes. Após a confirmação da Caixa de que não havia nada de errado, o Nubank e o Picpay estornaram o comando de retirada do dinheiro das contas, voltando tudo como estava antes (com o dinheiro na conta).

Cláudio Salituro explica como o pagamento por boleto funciona dizendo:

“Nós temos controles rigorosos. No momento de compensação de um boleto a instituição financeira informa que o crédito será adicionado a conta em até 3 dias. Isso ocorre porque aquele dinheiro sai do banco que pagou o boleto, passa por uma câmara de compensação e em seguida é transferido para outra instituição, para aquela pessoa. Quando o dinheiro não cai na conta corretamente, existe o caminho de volta e o dinheiro volta para a origem. Isso acontece no sistema brasileiro de pagamento, no sistema de compensação eletrônico, no sistema de compensação de boleto. Esse é o sistema financeiro nacional, onde aqui se tem uma qualidade diferenciada de muitos anos.”

Isso nos mostra que o sistema financeiro tem de arranjar uma maneira de identificar esta nova modalidade de boletos que está cada vez mais comum, onde ao invés do cliente realizar TEDs, é feito o pagamento de um boleto que é gerado através do aplicativo da fintech.

Assista ao vídeo da coletiva

Post original: https://oficinadanet.com.br/

O Registro br disponibilizará a partir do dia 20/07/2020 mais 12 opções
para registros de domínios .br.

Domínios que se distribuem em duas categorias, sendo, 5 genéricas e 7 profissionais liberais.

Genéricos

Categoria indicada para pessoas físicas ou jurídicas

app.br – Aplicativos
dev.brDesenvolvedores e Plataformas de Desenvolvimento
log.br – Transportes e Logística
seg.br – Segurança
tec.brTecnologia

Profissionais liberais

Somente para pessoas físicas

bib.br – Bibliotecários e Biblioteconomistas
des.br – Designers e Desenhistas
det.br – Detetives e Investigadores Particulares
enf.br – Profissionais de Enfermagem
coz.br – Profissionais de Gastronomia
geo.br – Geólogos
rep.br – Representantes Comerciais

Preços por período de registro no Registro br

O valor das novas categorias será o mesmo das demais do registro.br.

1 ano: R$ 40,00.
2 anos R$ 76,00
E assim por diante…

Tem dúvidas de como registrar seu domínio?

Já tem seu domínio registrado mas não sabe onde hospedar?

Saiba mais sobre as novas categorias de registro de domínios.

Visite nosso Blog para ver mais novidades!